Header
Siga-nos ... Siga-nos ... Siga-nos ... Siga-nos ... Website ... Entre em contato ...

Domingo, 07 de Março de 2021

CIRCUITO MUNDIAL: Duplas brasileiras voltam a disputar uma etapa internacional após um ano

Torneio de quatro estrelas no Qatar começa nesta segunda-feira com sete duplas do Brasil

Alison e Álvaro estão classificados para o torneiro principal (GettyImage/FIVB)

Alison e Álvaro estão classificados para o torneiro principal
(GettyImage/FIVB)

Líderes do ranking nacional, Duda e Ágatha voltam ao Circuito Mundial (GettyImage/FIVB)

Líderes do ranking nacional, Duda e Ágatha voltam ao Circuito Mundial
(GettyImage/FIVB)

 

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) – 07.03.2021

O Circuito Mundial de vôlei de praia volta a ser uma das atrações para a torcida brasileira após um ano. A partir desta segunda-feira (08.03), Doha, capital do Qatar, recebe o Katara Beach Volleyball Cup, torneio quatro estrelas do tour internacional. Entre as 100 duplas inscritas de 30 países diferentes, sete são brasileiras (quatro no naipe feminino e três no masculino), o que marca o retorno do país a uma competição internacional oficial da modalidade após 12 meses.

A última etapa com brasileiros no circuito mundial foi justamente no Qatar, em março de 2020, quando Evandro e Bruno Schmidt (RJ/DF) ficaram em quarto lugar no evento de três estrelas. Agora, após a paralisação de competições do Circuito Mundial durante a pandemia da COVID-19, a disputa entre as principais duplas do planeta volta à cena. Esta também será a primeira vez que o pequeno país da Península Arábica recebe um evento feminino.

Para o torneio foram criados protocolos de segurança sanitária como o exame prévio do tipo RT-PCR para todos os envolvidos – atletas, comissões técnicas, arbitragem e apoios -, responder um questionário sobre sintomas e assinar um termo de responsabilidade. Estes procedimentos ocorrem antes da entrada da "bolha" montada para o evento que conta com hotel, área de competição e treinamentos. A entrada será permitida apenas após novo teste feito no local. Todos os integrantes ficam dentro deste ambiente até a eliminação do torneio ou o término dele.

Dos sete times brasileiros, cinco já têm vaga garantida no torneio principal. Bárbara Seixas/Carol Solberg (RJ), Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) e Ágatha/Duda (PR/SE) no feminino. Enquanto no masculino estarão Alison/Álvaro Filho (ES/PB), e Evandro, que, nesta etapa jogará com Guto, já que Bruno Schmidt se recupera da COVID-19. Para a medalhista olímpica Ágatha, voltar a jogar o Circuito Mundial é uma oportunidade de atualizar as informações sobre as adversárias e medir o nível técnico e físico depois de tantos meses. A última etapa que a paranaense participou foi em setembro de 2019, quando esteve no World Tour Finals em Roma (ITA).

"Nosso objetivo principal é sempre estar no pódio. Mas é uma grande oportunidade de voltar a competir contra os times internacionais, encontrá-los novamente depois de tanto tempo, para termos ideia de como estão o nível técnico e físico de cada um, colher material de estudo mais atualizado. Estávamos ansiosas por isso. Vamos experimentar a vivência de estarmos somente eu e a Duda em quadra, sem o Marco (Char) no banco. Tudo isso se soma em nossa bagagem", explicou Ágatha.

Alison, que também esteve em um evento do Circuito Mundial pela última vez no torneio realizado em Roma, chega ao Qatar motivado pelo nascimento de Catarina, primeira filha do campeão olímpico, que nasceu em 26 de fevereiro, pouco mais de uma semana atrás. Para o atleta, a volta tem uma mistura de ansiedade e saudade.

"A expectativa, depois de um ano e meio, é muito grande, existe uma mistura de ansiedade com saudade, ansiedade porque voltamos de um ano e meio voltamos ao Circuito Mundial - a última foi em setembro 2019, em Roma - e saudade porque tive que deixar a minha filha, com apenas quatro dias de vida, em casa. Mas a vontade de querer ganhar também aumentou ainda mais. Esperamos fazer um bom campeonato, muitos times estão ainda em busca da vaga olímpica, nosso objetivo aqui é jogar o melhor possível e buscar o melhor resultado", falou Alison.

Qualifyng abre a disputa nesta segunda-feira

O primeiro dia de competição, nesta segunda-feira, será marcado pela disputa do qualifying, que classificará oito duplas de cada gênero para o torneio principal. Nesta fase todos os jogos são eliminatórios. O Brasil terá como representantes Tainá/Victoria (SE/MS) e Saymon/Fábio (MS/CE) na busca por um lugar entre os melhores do mundo.

A dupla formada pela sergipana Tainá e a sul-mato-grossense Victoria já tem grande experiência após pouco mais de três anos juntas. Ambas têm títulos mundiais nas categorias de base e, com a carreira consolidada no cenário nacional, querem agora se dedicar mais à disputa no Circuito Mundial. Victoria se diz confiante para a participação no evento em Doha.

"As nossas expectativas são as melhores possíveis, estamos muito motivadas. Vamos disputar esse qualifying com foco total, e não desperdiçar a chance de entrar em um torneio tão importante. Estamos bem adaptadas à situação, pois já estávamos acostumadas a este sistema de bolha com as etapas do Circuito Brasileiro. Queremos disputar o Circuito Mundial de forma plena, então vamos nos dedicar ao máximo neste primeiro compromisso do ano", contou Victoria.

Acostumado a disputar o Circuito Mundial ao lado de outros nomes do vôlei de praia nacional, Saymon retomou a parceria com Fábio recentemente e terá a primeira experiência internacional com o parceiro depois de sete anos. Para o jogador, representar o Brasil é sempre motivo de felicidade.

"Eu e Fábio estamos muito felizes por mais uma oportunidade de representar o Brasil em uma competição internacional. Quando jogávamos na base tivemos a chance de jogar o Mundial sub-21, o Circuito Sul-Americano. Agora, que voltamos a jogar juntos, esperamos fazer uma boa competição e levar as cores do nosso país ao pódio. É uma grande oportunidade e queremos fazer o nosso melhor", disse Saymon.

A etapa no Qatar dará um total de 150 mil dólares em premiação (aproximadamente 854 mil reais). As duplas campeãs recebem 800 pontos no ranking mundial.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro